quinta-feira, 5 de março de 2015

O QUE NÃO DIZER PRA SUA NORA

8 coisas que você nunca deve dizer a sua nora

Você é uma sogra que deseja estar mais próxima à sua nora? Tente evitar dizer estas oito coisas.

AUTORA: 

39,715 views   |   1,426 shares
  • Este artigo é uma perspectiva diferente do que você poderia esperar sobre este tema. Eu não sou ainda uma sogra, mas eu sou uma nora e eu tenho um monte de amigas que também o são. Entre nós, reunimos esta lista das coisas mais irritantes e pouco lisonjeiras que nossas sogras dizem a nós.
    Há uma ressalva: algumas noras têm ótimo relacionamento com suas sogras. Elas não se importam quando estas oferecem conselhos sem serem convidadas ou questionam como funcionam seus domicílios. Infelizmente, isso não é verdade para todas. Estas sugestões são para aquelas bem-intencionadas sogras que querem saber o que podem fazer para melhorar as suas relações com as mulheres de seus filhos (porque nada funcionou até agora). Evite dizer as seguintes coisas, e você certamente notará resultados positivos.
  • 1. Por que você faz assim?

    Além do problema óbvio de ser uma pergunta um tanto rude, as noras gostam de se sentir no controle de suas próprias famílias. Ser questionada sobre um hábito que ela tem mantido por toda a sua vida de casada pode ser desconcertante e doloroso. Se sua nora não quer usar máquina de lavar louça e em vez disso escolhe lavar à mão todos os seus pratos, sorria educadamente e mantenha a sua curiosidade para si mesma.
  • 2. Eu faria assim

    A menos que ela tenha pedido o seu conselho, sua nora realmente não precisa de sua opinião. Ela tem suas próprias fontes e ela busca essas fontes quando as dúvidas surgem e se uma dessas não é você, não se convide para a festa. Espere pacientemente a pergunta ser feita antes de oferecer conselhos.
  • 3. O que o meu filho mais gosta é..

    Embora você nunca deixe de amar o seu filho ou esquecer o nome de seu melhor amigo desde a escola primária, sua nora não irá apreciar se você aproveitar todas as oportunidades para provar que você conhece o seu filho melhor que ela. O fato é que ela pode conhecê-lo melhor do que você agora, e você só vai envergonhar-se (e a ele) recitando preferências de infância.
  • 4. Você sabia que seu filho gosta de fazer caminhadas?

    Quando os netos entram em cena, você vai precisar pisar com mais cuidado ainda do que antes. Nunca dê à sua nora a ideia de que você não gosta do jeito que ela cria seus filhos (a não ser, é claro, se for realmente prejudicial). E insinuar que você sabe alguma coisa sobre o filho dela que ela não sabe é prejudicial. Pense que ela já sabe muitas coisas sobre seu filho ou filha.
  • 5. Quando eu era uma jovem esposa, as coisas eram muito mais difíceis

    Sim, as coisas são diferentes quando nos casamos, mas será que isso, necessariamente, torna a vida mais difícil? Não, apenas a torna diferente. Mesmo que você tenha vivido em circunstâncias muito apertadas, contar a sua nora sobre elas, dando a entender que ela deveria ser mais grata por sua própria vida não vai fazê-la sensibilizada. Conte a ela sobre seus primeiros anos de casada como uma experiência compartilhada, e não como uma lição.
  • 6. Você não deve deixar seus filhos assistir tanta TV

    Mais uma vez, esta e outras opções semelhantes são decisões paternas pessoais que você realmente não tem nada a dizer. Como seus netos são criados só dizem respeito ao seu filho e sua nora, e todos os pedaços pontiagudos de conselhos não solicitados de sua parte não serão bem-vindos e irão banir ainda mais a sua influência.
  • 7. Ele nunca foi bom em nada

    Criticar o seu filho, mesmo de brincadeira, pode ser muito insultante para sua nora. Afinal, ela é a pessoa que ele escolheu como sua companheira, e ela vai ser compreensivelmente defensora de seu companheiro e amigo da vida toda. Qualquer crítica construtiva que você tiver que realmente dar a seu filho, faça isso diretamente a ele. Invadir um terreno tão perigoso é provavelmente a maneira mais rápida de ir parar no caderninho preto de sua nora.

  • 8. Por que vocês não se mudam para perto?

    De todas as perguntas que você poderia fazer, evite esta a todo custo. É extremamente pessoal, onde uma família escolhe viver e trabalhar. Na maioria das vezes, não está em suas mãos. Eles devem ir para onde estão os empregos. Se não estão na sua cidade, você vai ter que aprender a viver com isso. Atualmente, há muitas maneiras de se comunicar a longa distância por isso não se sinta como se você nunca fosse conseguir falar com eles.
    Relacionamentos sogras-noras são muitas vezes desconfortáveis, mas isso não significa que não possam melhorar com o tempo. Antes dela se casar com seu filho, houve um período de namoro onde sua nora e seu filho tiveram tempo de conhecer um ao outro. Aplique esta mesma linha de tempo e técnica para o seu próprio relacionamento sogra-nora, e com o tempo vocês duas vão se aproximar mais também.

Katie Nielsen received her bachelor's in English with an emphasis in technical writing from Brigham Young University - Idaho. She loves being a mother, cooking, writing, and traveling.

AMOR DE MÃE NÃO É PERFEITO



Talvez um monte de gente já vá esbravejar e disser: " Que absurdo, amor de mãe é perfeito sim"! Mas a verdade é que não é. Quebrar o mito de que amor de mãe é sagrado, que não pode contrariar,etc...é necessário. Muitas mães, por conta desse mito, sabendo dessa sacralização, se sentem com o poder para fazer o que quiserem e o que não quiserem com o filhos... 

Cuidado para não endeuzar também a sua mãe! Ninguém é perfeito, nem a mãe. Eu sou mãe e falo isso sem qualquer medo. Amo muitíssimo os meus filhos,no entanto, reconheço que não sou perfeita. Erro e muito. Às vezes sou chata demais, protetora demais, incompreensiva, truculenta, inconveniente...Sou humana e o fato de ser mãe não me coloca numa posição de perfeição ou inquestionabilidade. De maneira alguma.

"Não posso desagradar minha mãe, não posso discordar dela, não posso alertá-la sobre algum erro que esteja nitidamente explícito e ela insiste em fazê-lo, não posso colocar limite a ela, caso entre nos domínios da minha conjugalidade"? Claro que posso. Ela não está isenta de cometer erros. É preciso tomar cuidado para não colocar a mãe como um ser acima de todos, como se tudo que ela falasse ou fizesse fosse a verdade. Isso pode se tornar uma idolatria afetiva.

Nós precisamos ser homens e mulheres maduros  e nos conscientizar disso. Tem mãe que faz drama para ter o filho por perto, usa de um favor que o filho lhe pediu como meio para tê-lo em suas mãos, manipulá-lo, torná-lo escravo de suas vontades; mães que fazem chantagens emocionais, se fingem de doente, arrumam dores que não existem para usar de favores do filho, enfim... uma série de mães.

Então filho/filha, você principalmente que é CASADO/A, esteja atento a possíveis manipulações ou pitacos de sua mãe no seu casamento. A boa mãe, na verdade, que é saudável emocionalmente, saberá o seu lugar, saberá seus limites, saberá respeitar a vida íntima do filho, saberá que há domínios dos quais ela não faz parte ou não lhe dizem respeito. 




O SEXO PARA A MULHER ESTÁ LIGADO ÀS EMOÇÕES



Diferentemente da maioria dos homens, para a mulher, entretanto, o desejo pelo sexo baseia-se nas emoções e não na fisiologia. Não há alguma base física que a motive e impulsione para ter relações sexuais. O prazer feminino tem sua motivação  no emocional. Se ela se sentir amada, admirada e respeitada ela terá muito mais propensa à atividade sexual. Então MARIDO se você quer frequentemente ter relações sexuais prazerosas com sua esposa, comece pelas emoções. Trate-a com delicadeza, elogie-a, faça-lhe pequenos agrados, escreva um bilhetinho e deixe sobre a pia do banheiro. Se estiver no trabalho, envie um e-mail com uma mensagem bonita ou mande um mensagem via celular...Traga-lhe uma rosa, algo que ela goste de comer, diga: lembrei de você, eu te amo, senti saudades, etc. As opções são muitas, use a sua criatividade, sua boa vontade, ponha seu AMOR em prática e desperte o desejo dela por você.

PAI: uma referência para escolhas amorosas da filha



Um bom pai é a melhor referência de caráter masculino que uma menina tem pra avaliar os homens que dela se aproximam. Isso refletirá em quem ela escolherá como namorado, marido.

A propósito lembrei-me de uma entrevista feita com a Andréa Sorvetão cuja temática era família e casamento. Na ocasião ela havia mencionado que sua  filha certa vez tinha dito algo mais ou menos nesse teor: "Quando eu casar eu quero um marido que nem o meu pai é pra minha mãe."

Fica claro na afirmação dessa menina, a admiração pela figura paterna. Ela tem nele uma ótima referência para escolha de seus relacionamentos futuros. No mínimo não se envolverá com alguém que não a trate da mesma forma que o pai trata a mãe ou melhor.

Portanto, PAI, você é um referencial para sua filha e suas atitudes para com sua esposa são observadas por ela. Se você trata a sua mulher com amor, respeito, tolerância, companheirismo, gentileza, cordialidade, etc; essa será a referência para avaliar os homens que se aproximarem dela. Sua atitude de bom esposo, contribuirá severamente como parâmetro para escolhas amorosas no futuro de sua filha. PENSE NISSO!

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

LOUVOR...



Deus habita nos louvores...No entanto, prezado leitor, louvores não são músicas ou cânticos, como preferir nomear, mas sim a adoração proveniente de corações quebrantados e contritos.

O louvor no qual Deus habita é toda expressão da alma humana tomada de amor e gratidão; e que faz isso em humildade e simplicidade. Louvor a Deus não precisa de plateia, palco, de pompa ou circunstância. Isso é performance artística, show...

O único instrumento que faz a voz do homem ser ouvida por Deus é o coração. O resto é invenção do homem.

O louvor pode acontecer em qualquer canto. Nas montanhas do Himalaia, no deserto do Saara, no seu quarto, no banheiro, no carro, na rua. Não depende de um arsenal cênico para acontecer. Só precisa de uma vida que o adore em espírito e em verdade. Nada mais.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

GRATIDÃO A DEUS E AMOR AOS FILHOS... LIÇÕES COM A HISTÓRIA DO PEQUENO ELIOT






O vídeo ao final deste texto conta a história do bebê Eliot. Já na gestação os médicos detectaram que o bebê era portador de uma anomalia genética conhecida pelo nome de Síndrome de Edwards ou Trissomia 18. Sendo assim os médicos aconselharam à mãe a abortá-lo, pois poderia nascer morto ou viveria por poucos dias. Os pais, no entanto, preferiram dar o direito de vida ao filho, mesmo sabendo que ele viveria pouco.

Deste vídeo podemos extrair lições preciosas. A começar pelo "tapa na cara" sobre o que de fato é GRATIDÃO...

Sobre esta deve se saber que não se restringe aos dias bons, quando tudo parece acontecer do nosso jeito, sob o nosso controle, sem imprevistos chatos... Ser grato quando tudo vai bem, qualquer um de nós é capaz. Mas a real GRATIDÃO acontece em qualquer circunstância, seja ela a mais dolorida e difícil possível.

Outra lição preciosa extraída do vídeo é sobre o AMOR INCONDICIONAL. Os pais de Eliot, o amavam, mesmo ele tendo uma doença que o limitava.

A vida do filho era importante, independente, de como ele era, de sua imperfeição genética. Quando uma mãe ou pai amam seus filhos, assim como a mãe e o pai de Elliot, não importa como ou por quanto tempo o filho venha ao mundo. Ainda serve de alertar aos pais que sentem vergonha dos filhos por serem o que são, por conta de suas escolhas profissionais, pelo pouco dinheiro que possuem...Pais que preferem um filho a outro, porque o outro tem melhor formação intelectual, ou é mais bem aparentado ou tem mais posses...Pais e mães que costumam dizer: "Eu queria que meu filho fosse médico"; "Meu filho é um simples eletricista". "Meu filho não conseguiu nada nesta vida"...

Eu mesma já vi casos de pais que preferiram um filho em detrimentos de outros, por aquele ser mais bem-sucedidos na concepção deles... Quanto engano nisso. Quanta bobagem...

Filhos são para serem amados, independente do que escolheram como ofício. Não existe profissão melhor ou pior. O que existem são OPÇÕES, ESCOLHAS, APTIDÕES para esta ou aquela. Desvalorizar ou desmerecer um filho porque ele não cursou o curso dos seus sonhos, a profissão da moda, a profissão que "dá" dinheiro... é de um erro e tolice enormes.Pessoas não valem pelo cargo que ocupam. Pessoas valem por que são pessoas. E filhos existem para serem amados e não para suprir as expectativas dos pais. Você como pai e mãe, pode e deve orientá-lo quanto à escolha da profissão, mas pressioná-lo ou escolher por ele, jamais.

Não caia na besteira de forçar seu filho a fazer o que você quer que ele faça. Deixe que ele, como indivíduo que é, com suas preferências, dons, aptidões, etc; escolha o que melhor lhe aprouver para daí extrair o sustento. Se é honesto, honroso, não há porque inferiorizar a escolha dele. O que ele precisa é do SEU AMOR. Filho não é extensão de pai e mãe. Filho é um ser único, indivíduo que pode até ter características similares aos pais, mas ainda assim, são INDIVÍDUOS, com gostos, olhares e escolhas próprias.

Assista, se emocione e aprenda com a história do pequeno Eliot.